BRAVIO - Associação Brasiliense de Violão

Notícias sobre o violão de concerto em Brasília

Homenageando Radamés Gnatalli

O V Encontro pré-BRAVIO teve como foco Radamés Gnatalli, compositor gaúcho que em 2006 celebrará 100 anos de seu nascimento. Apesar de sua intensa atividade e importância, ainda é pouco conhecido pelo público e pelos músicos, e esperamos que no ano vindouro as homenagens póstumas sirvam para reavaliar a importância de sua obra e torná-la mais presente nas salas de concerto. Para saber um pouco mais sobre a vida desse compositor, clique nesse link.

As atividades começaram com uma palestra de Mércia Pinto tratando dos compositores nacionalistas brasileiros, situando Radamés Gnatalli nesse contexto. A professora da UnB recém-aposentada, de uma forma atraente e divertida, fez um levantamento do conceito de nacionalismo desde o século XVII até o momento em que ele começou a se fazer presente na prática musical. Em seguida, explicou como foi trabalhada essa idéia na Europa dos séculos XVIII e XIX e como os compositores brasileiros do fim do século XIX e do século passado utilizaram esses conceitos em sua obra. Foi muito rico ela fazer um pequeno panorama dos compositores nacionalistas, especialmente porque praticamente todos têm obras para violão que são desconhecidos pelos violonistas.

Ao falar especificamente do compositor homenageado neste encontro, Mércia levou a discussão para um ponto-de-vista muito interessante: que Radamés Gnatalli seria um dos poucos, se não o único, nacionalista legítimo, um compositor que naturalmente produziu obras nacionalistas sem qualquer influência externa. Além disso, apontou que ele foi um dos poucos compositores profissionais que o Brasil teve no século passado, pois sua renda era oriunda do ato de fazer música, não de atividades acadêmicas. Por fim, fez um apanhado da produção do homenageado e mostrou quão grande é seu catálogo de obras. Ao final da palestra, uma pequena discussão entre a professora e os presentes tentando compreender como um compositor com tais características pode ser tão pouco conhecido.

À noite, foi a vez de apreciarmos a Integral para Violão Solo de Radamés Gnatalli na interpretação de Paulo Porto Alegre. A ocasião era tão especial que um grupo de violonistas de Goiânia veio à capital federal prestigiar o evento. O violonista paulista, que foi aluno de Radamés e teve obras desse compositor escritas para ele, fez um recital de qualidade ímpar, com uma sonoridade invejável. Ao longo do recital Paulo Porto Alegre fazia comentários sobre as obras que contextualizam-nas, ajudavam na compreensão das mesmas e tornava mais familiar a obra do homenageado do evento. O recital teve uma boa energia, e a qualidade da apresentação deixou várias pessoas entusiasmadas para tocar de imediato obras de Radamés. O curioso é que em apresentações de obras integrais é comum que o público prefira algumas obras e não goste de outras, mas a maioria dos presentes declarou ter gostado de tudo, e os violonistas disseram que têm interesse em tocar toda a obra do compositor gaúcho.

Esse foi o último dos nossos encontros preparatórios. No ano de 2006 estaremos com nossas atividades plenas. Caso você queira se tornar um sócio da BRAVIO para contribuir com nossas atividades e usufruir de benefícios, se informe clicando aqui . Caso você seja violonista e gostaria de ser incluído na programação, veja este link. Caso você é músico, professor, jornalista, crítico, historiador ou apenas um conhecedor da arte musical e gostaria de ter algum texto, alguma composição original ou arranjo publicados no nosso jornal, se informe aqui.

Desejamos boas festas e um feliz 2006 a todos e agradecemos a todas as pessoas que tornaram o sonho de uma associação de violão em Brasília possível, em especial Sarita Piacese (diretora do SESC Estação 504 Sul que nos acolheu com todo carinho desde o primeiro contato); Rossi, Francisca e Otacílio (funcionários do SESC Estação 504 Sul que colaboraram conosco sempre da melhor forma possível, com um sorriso no rosto e o prazer de nos ajudar); Jodacil Damasceno, Fernando Dell'Isola, Felippe Maravalhas, Eustáquio Grilo, Alessandro Borges, Luís Renato David Jacques, Eduardo Brito, Rodrigo Carvalho, Malú Mestrinho, Mércia Pinto e Paulo Porto Alegre (nossos convidados, que vieram gentilmente nos auxiliar no começo da jornada, participando gratuitamente ou a um cachê irrisório); a Bayarde Camargo (gerente-geral da VARIG, que nos possibilitou trazer Paulo Porto Alegre para Brasília); à Embaixada do Canadá (especialmente ao embaixador Guillermo E. Rishchynski e à funcionária Marília) e a todos nossos sócios que estão nos apoiando nessa iniciativa.

A Diretoria
Júlio Cruz Alexandria, Wagner Rodrigues, Tiago Villela, Maurízio Martins, Marcos Moraes, Alvaro Henrique.

Fotos: Rossi

2 Comments:

At 9:20 AM, Anonymous Vitor said...

Parabéns pelo blog!! muito bom!! encontrei um panfleto que havia esse site !! Muito boa a iniciativa sobre o Violão em Brasilia!! gosto muito deste instrumento!!

 
At 2:40 PM, Blogger alvaro henrique said...

Muito obrigado, Vitor. Espero que no ano que vem você possa nos prestigiar e tornar-se um sócio da BRAVIO.

 

Postar um comentário

<< Home